Procurar

Visto eletrônico pode duplicar receita com turista norte-americano

29-01-2018

Visto eletrônico pode duplicar receita com turista norte-americano

A adoção do sistema de visto eletrônico para norte-americanos entrarem no Brasil pode duplicar o fluxo de turistas daquele país nos próximos dois ou três anos. A estimativa é do presidente e CEO da USTOA (United States Tour Operators Association), Terry Dale, uma das mais importantes associações de agências e operadoras de viagens dos Estados Unidos. O presidente da Embratur, Vinicius Lummertz, que se encontrou com Terry nessa quinta-feira (25), em Nova Iorque, disse que a retirada de uma barreira para o viajante pode significar um enorme impulso para as pessoas viajarem. “Se a estimativa do trade norte-americano se confirmar, dos atuais 570 mil turistas dos EUA que visitam o Brasil por ano, teremos cerca de 1,2 milhão num curto período, o que levaria a arrecadação com esse público que injeta US$ 710,5 milhões, e que deverá gastar US$ 177,6 milhões a mais na economia brasileira”, disse.

Lummertz está em Nova Iorque desde terça-feira (23), ao lado do ministro do Turismo, Marx Beltrão, para apresentar as novidades sobre a emissão de vistos eletrônicos para norte-americanos que desejam visitar o Brasil.

No primeiro encontro com a imprensa internacional, os representantes brasileiros afirmaram aos jornalistas da agência Reuters que a Organização Mundial do Turismo (OMT) calcula que o país que abole o custo ou da facilidade para concessões de vistos eletrônicos tem a possibilidade de aumentar o fluxo de turistas em até 25%. “A partir de hoje os turistas norte-americanos que vão ao Brasil não precisarão mais ir ao Consulado. Nem esperar 30 dias pelo visto. Passa a ser feito pela internet a um custo de US$ 40, e eles recebem a documentação em 72 horas”, explicou o presidente da Embratur.

Na visita à Travel and Leisure, revista que tem como foco o segmento de Luxo, Lummertz e Marx Beltrão também mostraram as vantagens que a simplificação da concessão dos novos vistos pode trazer para o aumento do fluxo para esse tipo de turista. “Na última visita que fizemos aos editores desse veículo, que é do Grupo Time, um dos maiores de comunicação do mundo, eles nos disseram que uma das maiores queixas do visitante de Luxo era a dificuldade para conseguir a documentação necessária para a visita ao Brasil. Por isso estamos aqui, para divulgar essa facilidade e, consequentemente, atrair mais norte-americanos para nosso País”, disse o presidente da Embratur.

O ministro estima ganho de divisas com a flexibilização dos vistos para os EUA. “Pelas projeções do Ministério do Turismo, os visitantes americanos gastarão US$ 177,6 milhões a mais na economia brasileira. Se queremos competir pelo turista internacional, temos de acabar com a burocracia e estender um tapete vermelho para ele optar pelos nossos destinos, movimentar a economia e gerar emprego no nosso país”, afirmou Beltrão. O Brasil é o destino de apenas 0,7% dos mais de 75 milhões de turistas americanos que viajam pelo mundo.

Na quarta-feira, dia 24, eles se encontraram com o embaixador do Brasil nos EUA, Sérgio Amaral, e conversaram sobre a possibilidade de parcerias para eventos e divulgação do Brasil no país. Uma ação cultural de divulgação do Amazonas está sendo organizada pela embaixada, bem como um seminário para investidores em turismo, tanto na capital, Washington quanto em Nova Iorque, estiveram na pauta da reunião. “Gastronomia, cultura e música poderão ser divulgados, além de uma mostra fotográfica e um seminário acadêmico. O ministro garantiu a participação da pasta e da Embratur. Todas as ações servirão para alavancar o fluxo de turistas dos Estados Unidos para o Brasil”, informou Vinicius Lummertz.

Durante a entrevista coletiva para divulgação da implantação do visto eletrônico, os representantes do governo brasileiro falaram sobre a importância do visto para alavancar o fluxo turístico dos EUA para o Brasil. “Com a aprovação dos céus abertos e a abertura do capital das aéreas para estrangeiros as coisas vão melhorar ainda mais. Uma só medida ajuda, mas não resolve. A aprovação pelo Congresso Nacional da transformação da Embratur em agência, com certeza, teremos mais norte-americanos e mais conexões aéreas. Hoje estamos ligados em frequências de voos que ligam 12 cidades norte-americanas com 9 brasileiras. Com o visto eletrônico e essas medidas, isso vai aumentar”, garantiu o presidente da Embratur. A coletiva realizada ontem (24), Consulado do Brasil em Nova Iorque, foi composta por jornalistas e correspondentes da Estado de S.Paulo, Diário do Nordeste, Mercado & Eventos, Notícias do Dia e Record.

Nesta quinta, além da reunião na USTOA, o presidente da Embratur falou com jornalistas da CNN, The New York Times e Skift.

Esta web utiliza cookies para obtener datos estadísticos de la navegación de sus usuarios. Si continúas navegando consideramos que aceptas su uso. Más información
Aceptar