Procurar

Vôos internacionais aumentam com destino para o Brasil depois da recessão

12-10-2017

Vôos internacionais aumentam com destino para o Brasil depois da recessão

O número de vôos internacionais que têm o Brasil como destino cresceu 9,7% no último ano, de 49.646 entre janeiro e setembro de 2016 até 51.040 entre o primeiro nove meses deste ano depois de dois anos de ter caído pela recessão do país, informaram hoje fontes oficiais.   

A cifra de 2017 vem mais próxima à do mesmo período de 2014 (53.880 vôos em nove meses) depois tivera dois anos seguidos de redução desses (até 53.614 entre 2015 e até 49.646 entre 2016), de acordo com as cifras descobertas hoje pela Empresa Brasileira estatal de Turismo (a Embratur).   

Conforme o organismo, o aumento reflete a recuperação da economia de Brasil depois de dois anos de recessão funda.   

A economia maior em América do Sul contraiu 3,80% em 2015, o seu pior resultado em 25 anos, e outro 3,60% em 2016, com o que encadeou dois períodos seguidos por crescimento negativo pela primeira vez da década de 1930.   

O queda da demanda dos passageiros brasileiros para vôos internacionais eclipsou até o forte aumento de turistas que o Brasil recebeu no terceiro trimestre de 2016 atraído pelos Jogos Olímpicos organizados por Rio de Janeiro.   

Conforme as projeções de Embratur, a tendência é o Brasil supere em 2017, com 65.218 vôos até Dezembro, o número de vôos internacionais que receberam em tudo 2014 (64.930), depois das quedas registradas em 2015 (64.775) e 2016 (59.061).   

Nos primeiros nove meses deste ano eles eram 57 freqüências internacionais novas abertas, sobre 35 no mesmo período do passado ano, de acordo com o órgão de desenvolvimento para o turismo. A previsão é aquele Brasil termina este ano com 91 novas rotas internacionais.   

Dos novos vôos, a maioria vem de países de América.   

"Os números mostram que a estratégia de promoção de Embratur, com foco para os vizinhos da América e Estados Unidos poderia ser um dos fatores decisivos para o crescimento do turismo internacional em Brasil", assegurou o presidente de Embratur, Vinícius Lummertz, mencionado na declaração oficial do organismo.   

Esta web utiliza cookies para obtener datos estadísticos de la navegación de sus usuarios. Si continúas navegando consideramos que aceptas su uso. Más información
Aceptar