Procurar

Praias cubanas, uma viagem impensado

15-06-2017

Praias cubanas, uma viagem impensado

O verão cubano sumamente cálido em julho e agosto augura que as praias ocupem um espaço significativo no turismo insular, não só para os habitantes locais sina para viajantes estrangeiros que gostam deste destino.

Dado esse interesse, está disponíve uma variedade e eleição das mais sobresalientes que encantam não só por seus encantos e areias finas, sina por lendas e quase que mistérios.

Cuba tem coerências perfeitas em suas mais de 200 praias dentre as que podem se destacar a muito renomeada Varadero, as do leste capitalino, ou as de ilhotas virgens.

Dos 588 quilómetros de praia que existem na nação caribenha, há 256 como parte de 12 regiões turísticas principais, com boas instalações hoteleiras e náuticas, zonas de reforço dos planos de desenvolvimento recreativo.

As praias cubanas, além de ser centro de recreio, têm uma infra-estrutura que permite as práticas de diversos desportos como as barcos à vela ligeiros, motos acuáticas, kayac, snorkeling e mergulho.

Entre as praias mais conhecidas de Cuba encontram-se algumas como prolongamento da urbe capitalina. Consistem numa extensão especial de areia e mar a uns 20 minutos de viagem em automóvel desde qualquer hotel da capital.

Vários são os nomes que aparecem em ordem, desde que se avança, atravessando o Túnel de Havana, acompanhados por uma paisagem muito grato de costa, por onde se encontram os bairros periféricos de Habana del Este, Alamar y Cojímar. Pouco para além aparece a silhueta arenosa.

Trata-se de pelo menos 18 quilómetros de balnearios com muito boa infra-estrutura hoteleira e de recreio, sobretudo para a prática de desportos náuticos. As praias nomeiam-se Bacuranao,Tarará, Mégano, Santa María do Mar, Boca Cega, Guanabo, e um pouco mais longe, na mesma linha do litoral, Arroyo Bermejo.

Ainda que resulta muito fácil desfrutar desta zona durante a sua estadia em qualquer dos  hotéis de Havana, propriamente no área  da praia se encontram instalações adequadas, além de uma faixa de apartotéis e instalações mais pequenas, mas todas de muito boas condições.

Mas Varadero  -localizado na ocidental província de Matanças- é a verdadeira rainha de todas. Constitui, sem lugar a dúvidas, a uma estância balnear mais famosa e distinto dos cubanos conhecidos no mundo; pelo menos, esse é o parecer de muitos estrangeiros que visitam a maior das Antilhas com frequência.

Trata-se do pólo turístico de sol e praia por excelência da ilha, com uma infra-estrutura hoteleira apropriada e em crescimento, além de condições criadas para a prática de muitos dos desportos náuticos.

Varadero encontra-se numa lengüeta de terra nomeada Península de Hicacos, cujo ponto mais setentrional, Ponta de Morlas, é a sua vez a zona mais ao norte de toda a Ilha de Cuba.

Esta praia, também conhecida como a Praia Azul, se encontra a uns 140 quilómetros para o leste da capital e tem muito boas vias de comunicação.

Em Varadero há três marinhas: Dársena Varadero, Chapelín  e Gaviota, esta última no extremo da Península, e actualmente a maior, onde existe um embarcadouro e alojamento impressionantes (Gaviota Marinha Varadero). Por isso são habituais as práticas do yatismo, as excursiones em barcos à vela e catamaranes, e o mergulho.

Como curiosidade, o prolongamento da Península de Hicacos se compõe de pelo menos 10 ilhotas menores, um deles Monito, onde a cada ano aninham colónias de gaviotas.

Em matéria de hotéis encontram-se os Meliá Varadero e Meliá As Américas, Sol Palmeras, Bela Costa e Tuxpan, As Morlas, Hotel Internacional de Varadero, e Oásis junto a uma ampla faixa de novidades.

Outro exemplo é Cayo Coco, que está à cabeça de uma série de islotes muito populares localizados no centro-norte da ilha. Essa zona denomina-se Jardines del Rey. Além de Cayo Coco encontram-se Cayo Romano e Cayo Paredón Grande.

Um atractivo fundamental são umas 15 mil casais de flamencos e outros animais típicos dessa zona, onde se encontra uma barreira coralina à qual se pode aceder mediante embarcações.

Cayo Coco tem 370 quilómetros quadrados, e une-se com a terra firme da província de Cego de Ávila, à qual pertence, por uma via de 17 quilómetros de longo sobre o água, que em Cuba se denomina pedraplén.

No lugar desfruta-se de vários complexos turísticos e hoteleiros que fazem a estadia bem mais agradável, simultaneamente de desfrutar da natureza.

As praias têm uma extensão excelente de águas tornasoladas e areia fina. Em alguns pontos a costa é sumamente baixa e permite muito o acesso de famílias, sobretudo com seus meninos.

Outras como as Coloradas, onde arraiga o Hotel Sol Clube, têm um meio virgem muito apropriado para o descanso ou para quem procuram um lugar ideal para se apartar.

Ali é de destacar Pilar em Cayo Guillermo, onde se aprecia uma paisagem estupendo e de passagem rende homenagem ao nome do yate de Ernest Hemingway, quem apreciou estes lugares em sua justa medida.

A lista é longa, não só as mencionadas, sina Santa Luzia em Camagüey; Guardalavaca, Bariay, Esmeralda e Pesqueiro, em Holguín; Maré do Portillo e Farallones em Granma: María Aguilar na península Ancón (Trinidad); Sirena em Cayo Largo do Sur, Isla de la Juventud; ou Daiquirí e Baconao em Santiago de Cuba.

Praias que muito têm que mostrar, não só nos cálidos verões, sina em qualquer época do ano, devido ao benéfico clima de Cuba.

Esta web utiliza cookies para obtener datos estadísticos de la navegación de sus usuarios. Si continúas navegando consideramos que aceptas su uso. Más información
Aceptar